18 jun 15

Compras de beleza nos Estados Unidos!

Hoje, depois de muito tempo pensando sobre, resolvi comprar o protetor solar com cor da Amore Pacific. Como é um produto caro, sempre ficava na dúvida, mas depois de muito refletir chegou a hora. Fui automaticamente pro site da Sephora (apesar de ter uma do lado de casa, sou fã confessa de compras online!) e quando estava prestes a apertar o botão de compra, resolvi olhar o site da Amore Pacific.

E qual não foi a minha surpresa ao ver que a marca oferece desconto de 10% na sua primeira compra, frete grátis (é só se cadastrar no site) e ainda manda um moooooonte de amostra grátis dos seus produtos (que são bem carinhos, então super vale a pena!) Sei que a Sephora também manda amostras, mas geralmente são perfumes ou cremes que eu não faço questão de testar, então achei bem mais vantajoso.

Por isso, minha dica de hoje é essa: antes de fazer todas as suas compras de beleza na Sephora pra entregar no hotel, verifique o site de cada marca! Com a concorrência online cada vez mais acirrada, elas têm feito de tudo pra atrair o cliente diretamente, sem intermediários.

Screen Shot 2015-06-18 at 10.05.18

Ju Ozol
Postado em Beleza, Bem Estar
17 jun 15

Whole 30: o que eu comia

Depois do post de ontem, a pergunta que mais recebi foi: “e afinal, você comia o que?”. Sei que ao ver a lista de alimentos proibidos fica difícil imaginar o que sobra, mas com a ajuda do Google e do Pinterest, a gente consegue ter bastante ideias!

O que me ajudou bastante foi deixar pra lá a ideia de que café da manhã só pode ser pão, queijo, iogurte e coisas do gênero, “comidas de café da manhã”, sabe?! Na maioria das vezes eu começava o dia com ovos (mexidos, omelete, poché, e por aí vai), mas não foram poucas as vezes em que comi carne moída com mostarda e batata doce ou salmão com abacate. Eu sei, eu sei… eu também torci o nariz no início, mas eu juro que a gente se acostuma e os benefícios compensam.

Screen Shot 2015-06-17 at 19.46.46

Pra ajudar quem está interessado no programa, divido um exemplo do que eram as minhas refeições. Lembrando que isso era o que eu comia, baseado nos meus gostos, mas as possibilidades são infinitas!

Café da manhã

– café preto, sem açúcar

– ovos mexidos com cenoura e gengibre

– omelete com tomate cereja e manjericão

– ovos poché com salmão e abacate

– carne moída com mostarda e batata doce

– frutas (banana + morango ou melancia + abacaxi)

– bacon (sem açúcar) com geléia de maçã

Lanche (manhã ou tarde) – com o tempo você para de sentir fome entre as refeições

– amêndoas com banana

– suco de laranja

– chips de banana com castanha de caju

– tomate cereja

– cenourinha baby

Almoço ou jantar

– carne (ou frango, peixe, porco, ovos, bacon*)

* é bem difícil achar bacon sem açúcar, mas é o único permitido

– mix de verduras (cenoura, aspargos, abobrinha, berinjela)

– purê de abóbora ou abóbora refogada

– purê de batata ou batata assada

– chips de batata doce

– guacamole + carne moída apimentada

– salada de folhas com morango e amêndoas

Preciso confessar que eu acabei comendo muitas vezes as mesmas coisas, não fiz grandes receitas nem experimentei muita coisa, mas funcionou pra mim! Se você tem a tendência a enjoar e jogar tudo pro alto, existem vários blogs com receitas bem interessantes. É difícil encontrar em português, mas prometo que conforme eu for testando, publico aqui pra vocês, ok?

30 days of Whole 30 breakfasts

Whole 30 official recipes

Recipes for a Whole 30

Top 10 Whole 30 dinners

Whole 30 recipes Facebook

Whole 30 recipes Instagram

Ju Ozol
Postado em Bem Estar, Vida Saudável
16 jun 15

Whole 30: eu consegui!

Já começo avisando que esse é um post gigante e bem pessoal. Não conseguiria contar como foram os últimos 30 dias sem contextualizar um pouco, além de explicar os desafios e mudanças que percebi durante o Whole 30. Juro que vale a pena ler até o fim! :)

(Para saber do programa e o que pode e não pode comer, leia esse post aqui ou consulte o site oficial!)

Conheci o Whole 30 assim que me mudei pros Estados Unidos, em agosto do ano passado. Achei a proposta super legal, mas meio impossível para uma viciada em doces e porcarias em geral como eu. Na época até tentei fazer, mas não cheguei a completar a segunda semana (e contei um pouco sobre o programa e minha experiência nesse post aqui!)

E aí que os meses passaram, eu voltei a comer de tudo (e muito!) e minha energia voltou a ficar no pé, além de não conseguir perder peso, mesmo fazendo exercício. Eu dormia mal, acordava morta, já começava o dia com algo gordo e cheio de açúcar pra me dar energia e compensar o cansaço, e no final era um ciclo vicioso… Picos de energia e de repente uma queda vertiginosa, que fazia eu me arrastar pelo dia, caindo.

Isso sem falar na barriga sempre inchada, prisão de ventre, pele sem viço, irritação e mudanças de humor repentinas. Ah, e como esquecer da minha compulsão por doces? Sim, era coisa de viciada mesmo, de não poder passar um dia sem, de sair na chuva pra comprar, de acordar pensando no que eu ia comer no dia e em que momento. E sempre muito, tipo 1 kg de M&M’s por dia, sem nem perceber (que vergonha…) Ou seja, estava tudo errado!

Um dia estava assistindo TV e vi os autores do Whole 30 explicando um pouco sobre o funcionamento e dando exemplos de cardápios. Nessa hora, não sei porquê, me deu um click e corri pra comprar o livro, pra entender a fundo o programa. Li em poucas horas e tudo fez sentido pra mim, principalmente a parte em que eles falam sobre o descontrole com a comida.

Screen Shot 2015-06-16 at 16.28.12

Entendi que, pra mim, era essencial fazer um tratamento de choque, abstinência mesmo, ao invés de ir tirando aos pouquinhos e sempre cair em tentação. Era preciso retomar o controle de mim mesma, fazer boas escolhas e entender de uma vez por todas o mal que esse estilo horroroso de alimentação fez e fazia no meu corpo.

Acho importante ressaltar que o objetivo principal do programa não é a perda de peso, e sim um melhor entendimento de como suas escolhas alimentares afetam seu corpo, humor e todas as áreas da sua vida. Emagrecer acaba sendo uma consequência, e posso garantir que os resultados são incríveis e vão bem além de um número na balança. (Para entender mais sobre o Whole 30, leia meu post anterior)

Screen Shot 2015-06-16 at 16.27.38

Amanhã vai ao ar um vídeo contando um pouco do dia a dia, das tentações e de como o programa ajudou a recuperar minha auto estima, mas já posso adiantar que:

- passei a dormir melhor e acordar bem disposta;

- desinchei totalmente, parece que esvaziou um balão;

- pele com mais viço, menos vermelhidão e espinhas;

- muito mais energia (essa é surreal, muita diferença!!)

- parei de ter oscilação de humor;

- perdi 5,2 kg em 30 dias;

- acabei de vez com minha compulsão por doces!!!

E pelo menos mais umas 20 outras mudanças impressionantes, sem exagero! O que eu posso dizer pra vocês é que não é fácil, mas vale muito a pena voltar a ter controle sobre suas escolhas. Parei de ter “vontades” alucinantes de comer doce, pão ou qualquer outra coisa, aprendi a fazer substituições saudáveis e experimentei alimentos e combinações que antes eu nem passava perto. São 30 dias de muita consciência, não dá pra comer qualquer coisa, e que exigem preparo e antecipação, pra não chegar em casa azul de fome e não ter nada “dentro do programa”.

Claro que tiveram dias em que eu queria subir pelas paredes ao olhar um pão quentinho e não poder comer, ou sair com os amigos pra comer pizza e ficar na salada, mas pensar quem era “só” 30 dias e que depois eu poderia escolher me ajudou a seguir firme e forte.

Screen Shot 2015-06-16 at 16.29.21

Nos próximos posts eu conto as 5 principais coisas que eu aprendi com o Whole 30 e como me organizei para estar sempre preparada e não cair em tentação, além de dividir algumas receitas que fiz nesse último mês! Se você tiver alguma dúvida, deixe seu comentário aqui que vai ser um prazer te ajudar! :)

Ju Ozol
Postado em Bem Estar, Vida Saudável